11/11/2011

Do céu, com amor

Não chores meu amor. Não chores, que não aguento ver-te chorar. Não chores, que para ti não morro. Morro para o mundo, para os outros, para todos os deles. Mas nuca para ti. Para ti acabo de nascer outra vez, num sítio diferente, de onde posso ver-te a todo o minuto. Que alegria é para mim, poder agora estar sempre contigo, a todos os minutos, cada passo que deres, eu estarei contigo meu amor. Agora que morro para os outros, para esta vida que já não me quer, vivo para ti e só para ti.
Serei o teu anjo da guarda, conduzir-te-ei da melhor maneira que puder, sejam quais forem os caminhos que, a partir de agora, escolheres seguir, até o dia, daqui a muito, muito tempo, em que também tu morrerás para os outros e passarás a viver só para mim, aqui, no lugar em que estou agora. Não tenhas pressa de vir meu amor, não tenhas pressa, porque aqui o tempo não passa. Vive a tua vida enquanto ela te quiser, porque a vida é boa e eu estarei sempre aqui , à tua espera, por mais anos e anos que passem, e eu quero que passem muitos. Vive a tua vida e só depois vem viver a nossa. Não tenhas pressa, que aqui o tempo não passa. A minha missão aqui começa agora, serei o teu anjo da guarda, até que comece verdadeiramente o nosso 'para sempre' e não há pressa meu amor, não há pressa porque depois é para sempre. 
Quando leres esta carta eu já não estarei no teu mundo, estarei num mundo melhor, onde já não dói. Aqui, mais nenhuma doença me vence e arranca da vida e, estando aqui, eu posso estar sempre contigo. Por isso não chores, não chores meu amor, que não aguento ver-te chorar.



3 comentários:

Marga disse...

isso não é verídico pois não? :/

Lady C disse...

?

Mariana F. disse...

olha, está mesmo lindo, magnífico Tânia, adorei, uma típica carta de amor, à modo antigo, tal como adoro!
linda!