24/09/2012

Eu não sabia qual era o meu pior pesadelo

mas agora já sei!
Pois que os senhores do ISCSP acharam que isto andava muito monótono e bom bom era fazer alterações assim à maluca sem ninguém estar à espera. E sim, é o que vocês estão a pensar, são alterações PÉSSIMAS, pelo menos para nós, alunos.

Então é assim, a partir deste ano lectivo os senhores professores têm a liberdade de escolher o modelo de avaliação que querem. Agora há a possibilidade dos alunos não terem que realizar qualquer frequência ao longo do semestre e serem obrigados a realizar o exame em época normal, sendo que este vale portanto 100% da nota. E claro, os senhores estão todos excitadíssimos com isso e decidiram optar todos pela maravilhosa novidade no instituto. Isto é: eles não têm trabalho a corrigir as demais frequências, uma ou duas vezes por semestre, e nós ficamos sem férias e com trabalho a "centiplicar". 
NÓS PAGAMOS, ELES DECIDEM!
Matem-me, a sério.

3 comentários:

Mariana F. disse...

oh meu deus, isso é tão estúpido. em vez de facilitarem a vida aos estudantes, facilitam aos professores...

éme disse...

estás melhor que eu. na minha universidade para ir a exame (de época normal) porque a partir de este ano só temos esses e lá se foi o de recurso temos de ter frequência - essa que é obtida até das aulas teorias. Se quisermos avaliação continua temos 4 testes por cadeira e visto que são cerca de seis/sete dá um total de 24/28 testes em menos de três meses. não estou a contar com mini-testes (que dão frequência) assim como aulas práticas que requerem relatórios todas as semanas e a mais de uma cadeira, mais discussões de relatórios, seminários.
neste novo método não poupam nem alunos nem professores.

só sei que começo os teste para a semana e só acabo em Dezembro - porque ou é todos os dias (durante algumas semanas) e dia sim dia não nas outras.
Boa sorte para ti e para mim :)

Hibiscus disse...

Como eu te percebo, na minha faculdade é quase tudo por exame de época normal. Poucas são as cadeiras que temos frequências ou assim.