10/12/2014

Aí, onde estás, tens o meu coração e terás sempre



As saudades são cada vez mais profundas e o tempo não apaga nada, não atenua nada. Desengane-se quem assim pensa, porque esperar que o tempo mude alguma coisa só acrescenta a uma dor imensa e inarrável, a dor de quem espera algo que nunca vem. Estás em mim todos os dias, falo contigo todos os dias e todos os dias acordo com o desejo ingénuo de que tudo não passe de um longo e demasiado real pesadelo, que estejas ali, na cozinha, a ler o jornal junto à janela, como fazias todos os dias, depois de beberes o teu leite com demasiado açúcar e de comeres o teu pão com queijo. Tenho saudades tuas e terei sempre, todos os dias, porque o homem da nossa vida nunca se esquece, o que nos ensinou a andar, a ler, a amar, a ser, não se esquece nunca. Não se esquece o pai, o amigo, o herói, o ídolo. Aí, onde estás, tens o meu coração e terás sempre. Todos os dias que passo sem ti fico um bocadinho mais pequenina, menos eu, menos gente, mas a vida continua a acontecer e o mundo não pára, tenho que viver esta vida inteira que me falta sem ti, depois da vida inteira que passei contigo. Ainda não sei bem como, apenas sou boa a disfarçar, muito boa, mas tem que ser. 

2 comentários:

princesinha disse...

adoro!

Ariana Maria disse...

Há coisas que custam muito, mas temos de ser fortes*