29/05/2011

Faz hoje um ano

Há um ano tudo acabou. Sonhos, projectos, sentimentos fortes, sorrisos, promessas, uma felicidade plena..tudo se desmoronava ali, em poucos minutos. Durante muito tempo não conseguia acreditar que te tinha perdido, que tudo o que tinhamos construido não existia mais, como se estivesse adormecida, presa a um pesadelo que teimava em não terminar. Era impossivel, o que nos ligava era forte de mais. Ainda hoje não sei bem como tudo aconteceu. 
Custou tanto ouvir os que nos consideravam o casal perfeito, o casal sem problemas, o casal mais feliz de todos e que certamente seria o casal a permanecer mais tempo junto, custou tanto ouvir as palavras incrédulas de quem dizia ser impossivel ter acabado, quando eu tinha a noção que isso tinha mesmo acontecido.
O mundo não era mais o mesmo, sentia-me sem rumo, sem equilibrio, faltava-me a minha metade, a minha força, a minha razão de tudo, o que me mantia de pé, o meu melhor amigo. Não te perdi só a ti, perdi tudo o que significavas, e era tanta coisa. Nunca partilhei tanta coisa com alguém como partilhei contigo. Agora penso como podia ser tão dependente assim de uma pessoa e como o permaneci durante tanto tempo. Penso na quantidade de vezes que me disseram que sentias exactamente o mesmo que eu, nas vezes que me contaram estares de rastos também e nas vezes que esperei que então viesses falar comigo querendo reconstruir tudo. Mas isso nunca aconteceu, fechaste o teu sofrimento numa concha tal como eu, na esperança que ele desaparecesse, por medo de novos erros. Agora, passou um ano e só há bem pouco tempo a minha dor atenuou. O buraco no meu peito está a ser sarado aos bocadinhos, pouco a pouco. Mas eu sinto saudades, eu penso eu ti e no que fomos, menos vezes é certo, mas ainda penso. Foste demasiado importante, foste o meu mundo e não consigo esquecer completamente. Estou a seguir com a minha vida e estou feliz com ele, estou a conseguir sentir amor outra vez, devagar. Pensei que não conseguiria mas estou a conseguir e sinto-me muito bem por isso.
Mas hoje faz um ano e bateu uma saudade, uma melancolia, uma vontade de te ver e de estar ao pé de ti. Amanhã quando acordar isso vai ter que desaparecer. Há datas que não deviam ser lembradas.

1 comentário:

mariana f. disse...

não deviam mesmo ser lembradas s: